segunda-feira, 23 de abril de 2007

Os Antigos Casais E Os Novos Também

A história é bastante interessante, para mim. Se há coisa que me fascina é perceber como os antigos conseguiam sobreviver sem laca para o cabelo. E sem tomar banho, também, mas isso é para outra altura, suponho. De qualquer maneira, parece-me que está na altura de compararmos os casais do passado, com os actuais. E, quando digo passado, quero dizer no Era Glacial. Vocês sabem... Quando estava tudo congelado... Foi quando os vossos pais se conheceram, porra!
Bem, voltando ao assunto, acho que o aspecto mais interessante é o facto de que, no passado, eram as mulheres que mandavam na cozinha. Eram bons tempos pelos vistos... Agora, isto democratizou-se e a mulher cedeu o controlo da cozinha. Agora nenhum dos dois se sobrepõe ao outro, quando chega a altura de decidir quem faz o jantar, à noite. Agora, não usam a porrada para se certificarem que o outro lava a loiça. Agora, é a empregada que manda na cozinha.
Mas, pensando bem, talvez o mais interessante seja as mulheres se manterem virgens até à noite de núpcias, no tempo dos antigos. Mas o Espírito Santo é sorrateiro, ao que parece, e ela iam para o altar grávidas, ainda assim. Mas hoje em dia ja não! Hoje em dia, se forem grávidas para o altar, podemos, pelo menos, ter a certeza que não foi o Espírito Santo. O resto é capaz de ser mais complicado, mas ninguém pergunta de quem é que a Dama-de-Honor engravidou, também, portanto não importa.
O que nos leva ao novo anúncio da Ausónia. Aquele do touro electrónico que a menina monta até ele ir abaixo, sabem? Eu tenho a certeza que todos os homens já se questionaram: “Deverei ficar excitado ou amedrontado com isto?” No meu caso, são ambas as hipóteses. Está bem que eu sou liberal, mas sexo até à morte mete sempre um bocadinho de medo.
O último aspecto de maior importância será, sem a minima sombra de dúvida, quem chicoteia, na relação. Com os antigos, era o homem, e ele usava o cinto. Hoje em dia, e pelo que percebi do S&M, é a mulher. E ela costuma usar fatos muito estranhos... Óbvio que estamos mais perto, dir-nos-ia o Marquês DeSade, mas falta-nos um último toque. Aquele je ne sais quois, percebem?
Terminando, dá para ver que os casais passaram por uma imensa evolução, durante os últimos anos. É óbvio que existem mais aspectos relevantes. Hoje em dia parecem haver muitas mais posições, por exemplo. E já ninguém tem sexo às escuras, com uma tábua a separar tudo menos os orgãos sexuais, só para ir ter ao Céu. Não, hoje em dia temos sexo à escuras, sim, mas é para não reconhecermos a/o nossa/o parceira/o, na rua, posteriormente. Afinal de contas, nunca se sabe do que nos lembraremos, após a bebedeira...

1 comentário:

o gajo que o pina se divertiu à noite disse...

Esta última frase magoou-me muito, meu chocolatinho, tenho pena que penses assim. Se quiseres, da proxima vez eu deixo-te usar o lubrificante para te doer menos :(