terça-feira, 1 de janeiro de 2008

2008 - os foguetes eram para nós!

A quem possa interessar: voltamos! No verdadeiro sentido da palavra, voltamos. Estivemos fora, e agora deixamos de estar, por isso devemos ter voltado. E que melhor altura para voltar do que no início do ano? Vamos fazer de conta que não há.
Ora bom, posto isto, se calhar escrevia mais qualquer coisa, porque um post de 3 linhas não fica muito bem ao vosso ilustre Fugem. Então que tal fazer um apanhado de 2007, que é já um clássico do ano novo? Bora lá, Mike!

- 2006 foi extinto.

- A Apple lançou o muito aguardado iPhone, expandindo-se para o mercado das telecomunicações. Mas não foi o único campo para o qual a empresa se expandiu:





A indústria automóvel não escapou à maçã.










O desporto também não ficou imune.











- O governo da Venezuela tirou do ar a RCTV, o canal privado mais antigo e popular do país, que fazia oposição ao governo, sendo considerada por isso uma ameaça ao país. Depois da nacionalização da principal reserva petrolífera do país, seguiram-se também as nacionalizações do leite creme, da Matemática, da língua espanhola, das manhãs de segunda-feira e da Júlia Pinheiro.

- Foi lançado o último livro da saga Harry Potter, pondo fim a uma série quase tão longa como lucrativa. Seguindo muita especulação, o jovem protagonista acabou por morrer porque o Daniel Radcliffe não pode parecer que tem 14 anos para sempre.

- Morreu Luciano Pavarotti. A expressão «cantar como um anjo» ganhou todo um novo sentido.

- O mundo da banda desenhada foi abalado pela morte do Capitão América. Após 66 anos de vida, morreu baleado. 66 anos a causar dores de cabeça a malfeitores por esse mundo fora e bastava um tirinho para bater a bota. Moral da história: mesmo morto, foi o último a rir.

- Desapareceu Madeleine McCann no Algarve, originando uma onda de solidariedade mundial, angariando milhões de euros, que foram integralmente gastos na impressão dos panfletos que correram mundo contendo a fotografia da desaparecida, onda essa só comparável à seguinte onda de piadas sobre o acontecimento. Após meses de controvérsia relativa a toda a investigação bem como à prestação da polícia portuguesa, o caso permanece por resolver. E é aqui que eu salvo o país em 2007: quem é o maior especialista português em inglesas de férias no Algarve? Zézé Camarinha. E ninguém se lembrou de falar com ele. É isto que faz falta na justiça portuguesa, contactos.

- Um submarino russo colocou a bandeira do país no fundo do oceano, na região do Pólo Norte. O país tinha intenções de levar a cabo explorações na zona, devido à sua riqueza em recursos naturais, que foram desde logo rejeitadas pelo Canadá. No entanto, José Sócrates e a sua mente engenhosa (gostaria de apontar que isto não é uma referência ao facto do primeiro-ministro não ser engenheiro) usaram uma técnica semelhante para resolver a questão do resultado do referendo sobre a despenalização do aborto: rapidamente foi colocada um bandeira portuguesa em Badajoz.

- Um concílio do Vaticano deliberou que o anúncio de um novo papa se fará não com o tradicional «Habemus Papa», mas sim com «Habemus Nestum».

- O mundo cibernáutico sofreu uma quebra estrondosa de estupidez com a saída do activo do Fugem, que voltaria com o ano novo, seguindo a demanda pela parvoíce em 2008.

E foi resumidamente isto que marcou 2007, se deixei alguma coisa de fora a culpa é do aquecimento global.

(\__/)
(='.'=)
(")_(") Ele ainda cá está, e em 2008 vai conquistar o mundo. Palavra de fuginte.

3 comentários:

PT disse...

o zézé camarinha devia estar ocupado naquele dia..e nos outros todos a seguir. Afinal de contas, o verão é a época alta dele! xD

Bem vindos a nós! :D

ana disse...

mto bem!! axu k nka postaram nd assim...ja agr espero k u papa morra bem depressinha, pode ser k assim a maddie apareça...ja ouvi dizer k ela n gosta mto d cerelac!...

**

Ana disse...

You guys are back =D


PT volto a dizer que és o maior xD