quarta-feira, 17 de janeiro de 2007

Trilogia do Cobarde-Parte IV

E, num momento inédito na história da Humanidade, apresento-vos a 4ª parte da Trilogia do Cobarde!

Acto V:
(Carlos está num escritório, em frente a uma secretária, enquanto uma anjo está sentado do outro lado, a escrever. Tem tudo um ar muito profissional)
Carlos: Olha que giro. Desta não estava à espera. São os novos hospitais?
Anjo: Não, estás no purgatório.
Carlos: Purgatório? Mas eu morri? Mas nem sequer houve aquelas luzinhas brancas, como no Sete Palmos de Terra...
Anjo: Não? Vou ter que falar com os técnicos mais tarde.
Carlos: Mas então morri mesmo? Filhas de mãe! Parece que esperam que eu entre no departamento para toda a gente se tornar um assassino.
Anjo: Tem calma. Estamos aqui para discutir o teu destino.
Carlos: E não posso continuar a insultá-los? Só por um bocadinho?
Anjo: Só se fores para o Inferno...
Carlos: Abençoados sejam todos aqueles cabrões.
Anjo: Ora bem, senta-te. (Carlos senta-se) Estás muito próximo de ir para ao Inferno, sabes? Traíres a tua mulher, longo currículo de cobardia...
Carlos: Mas quê, agora somos penalizados por termos uma especialização?
Anjo: Eu acho que vais mesmo para o Inferno... Quer dizer, com uma vida destas...
Carlos: Para o Inferno? Mas ouvi dizer que aquilo é tipo o Maiashopping...
Anjo: Só com a parte dos cinemas. O resto é mais parecido com as estações de metro lisboetas.
Carlos: Essa é gira...
Anjo: Não me parece que haja salvação para ti... É que ainda por cima tiveste uma morte estúpida..
Carlos: Também me pareceu...
Anjo: Se não te importas terás que preencher aqui uns formulários. (entrega-lhe uma enorme pilha de papéis)
Carlos: Ok, isto é simplesmente estúpido. Nietzche já disse que Deus está morto, de qualquer maneira.
Anjo: Está bem, mas o Nietzche também está...
Carlos: Também? Mas então Deus está mesmo morto?
Anjo: Porque é que achas que temos tanta papelada?
Carlos: Isto é ridículo! Os anjos nem sequer deviam ter sexo!
Anjo: E não temos. Nunca descobri como é ter um orgasmo.
Carlos: Bem, quer dizer, eu sempre quis fazer em cima de uma secretária, se estiver interessada...
Anjo: Mas vais para o Inferno...
Carlos: Ao menos ia contente...
Anjo: Mas não podemos. Com Deus morto já não há amor no Universo...
Carlos: Curioso, estava a tentar dizer ao autor desta história o quanto isso era preocupante, para me safar...
Anjo: Estou excitada.
Carlos: (levantando-se) Então vamos lá. Se queremos recuperar o amor no universo há que dar o exemplo.
(entra o Assasssino da Facas)
Assasssino da Facas: Vão demorar?
Carlos: Olha ele. Com que então eras só um bode expiatório, meu cabrão.
Assasssino da Facas: Pois é. Desculpa lá o mau jeito.
Anjo: (levantando-se) Acho que me vou despir.
Carlos: Olha, espera um pouco, que nós vamos para os mesmos lados, e depois falamos.
Assasssino da Facas: (a sair) Está bem. Até logo.
Anjo: Já não tenho grande vontade.
Carlos: Mas tem a certeza? Era bem giro, com um anjo, no purgatório. Nunca tiveste fantasias dessas?
Anjo: Não é permitido.
Carlos: Ah não?
Anjo: Tive algumas...
Carlos: Algumas...
Anjo: Muitas.
Carlos: Muitas, portanto...
Anjo: A toda a hora, principalmente com o Gabriel dos estábulos.
Carlos: Gabriel dos estábulos?
Anjo: Sim, sim. Ele há uns tempos andava muito na voga. Matou um demónio numa luta de bar, bebâdo...
Carlos: Eu juro que de cada vez que penso que isto está no limite da estupidez...
(entra outra anjo)
2ª Anjo: Helena, o São Pedro pediu para dizer que se é para fazerem isso, que façam de uma vez e terem atenção para as camâras apanharem.
Carlos e Helena (uníssono): Camâras?
2ª Anjo: Sim, sim. Faz-se um bom dinheiro com estas coisas em Paredes... (sai)
Helena: Estou outra vez com vontade. (começa a desapertar a camisa)
Carlos: (tira a camisola, excitado) Lembrei-me agora, não devias ter asas?
Helena: Estão para lavar...
(o telefone toca e Helena atende)
Helena: Estou? Sim? Mas tem que ser mesmo agora? Não pode esperar? Só umas 5 horas? (Carlos olha para ela assustado)
Carlos: 5 horas?!
Helena: Não? Está bem, então. (desliga o telefone e olha para Carlos, desanimada) Vais ter que voltar.
Carlos: Voltar? Para o mundo dos vivos?
Helena: Sim, a tua mulher está a reanimar-te, e vais ter que voltar para apanhar o teu assassino... E diz ao das bananas que o São Jorge ainda está à espera do borrego, se não te importas.
Carlos: Ah, por segundos bem que me pareceu que era bom demais...
Helena: Portanto, se não te importas...
Carlos: Mas não dá para ficar? Com quem é que tenho de dormir para ficar por cá?
Helena: São Pedro...
Carlos: Vamos embora!

Fim da 4ª parte. Para todos aqueles que estão a pensar se nada será sagrado para nós, devo dizer que o PT não nos deixa referir o panasca. Oops...

1 comentário:

Nizzy disse...

Orlando, eu não sei cm fazes, mas esta suposta "Triologia" tá cd dia melhor! xD

Podia era ter mais Abílio-do-Talho pró meio... =) Mas tás definitivamente lá!